sexta-feira, 29 de maio de 2015

RESENHA: AS TRÊS MARIAS, OBRA DE RAQUEL DE QUEIROZ

AS TRÊS MARIAS – HISTÓRIA SOBRE MULHERES, MEDOS E APODERAMENTO


Raquel de Queiroz, uma Diva da Literatura Brasileira, simplesmente merece ser lida pela nova geração. Detentora do talento de escrever sobre o cotidiano e o papel da mulher na sociedade, ela nos oferece um delicioso passeio pelas páginas de seus livros.  As três Marias, romance de 1939, contem uma magia especial, compartilhadas pelas três protagonistas que se juntam pela solidão.
A história começa com a chegada de Maria Augusta (Guta) em um internato, no Ceará. Enviada pela madrasta, Guta se sente sozinha e com medo da nova realidade. Maria José e Maria da Glória acabam se juntando a ela, e formando o trio que dar nome ao livro, As três Marias, apelido da constelação de Orion. Essa união em pouco tempo as ajudam a vencer os obstáculos e a solucionarem os problemas das demais colegas.
Apesar de serem consideradas uma unidade, cada Maria possui personalidades distintas, com seus sonhos e desejos individuais. O desenrolar da história permite ao leitor acompanhar  o desenvolvimento de cada personagem, que conhecem o mundo através dos romances  franceses, contrabandeados para dentro do internato e que passavam de mão em mão.
Cada leitor se torna um observado atento à descoberta do primeiro amor de Glória. Experiência vivenciada também pelas demais amigas, que mesmo sem o conhecer, aprenderam a admirá-lo através do olhar da amiga.
Como a vida não pode ser congelada, as meninas crescem e precisam se adaptar a realidade fora do internato, as levando por caminhos distintos, sem desfazer o laço de amizade, dado na infância. Neste processo, vemos a característica de Raquel, ela nos leva para conhecer o seu Sertão, nos apresenta a mulher no contexto social. Uma se casa e torna-se mãe. Outra opta pela vida religiosa e pelo magistério e a protagonista e narradora, decide tomar as rédeas de sua vida. Diz não ao papel esperados por todos, tornar-se uma dona de casa. Ela muda para Fortaleza, capital do Ceará, torna-se datilógrafa, uma profissão respeitada e que se exigia qualificação. Ela estava decidida a viver sua história.
Vale a pena conhecer Guta e suas amigas! Vale a pena conhecer Raquel de Queiroz!

·         Editora: José Olympio (2 de fevereiro de 2005)
·         Idioma: Português

quinta-feira, 14 de maio de 2015

PESQUISADORA DE LITERATURA COMPARA O LIVRO REENCONTRANDO-SE COM MONTANHA RUSSA

Em rede social, a professora e pesquisadora de literatura, Arucha Oliveira compara o livro Reencontrando-se com uma Montanha Russa
"Quando andamos em uma Montanha Russa, não importa de onde ela é ou como é seu formato, tem-se o mesmo momento, em alguma parte do percusso: uma subida de ladeira bem devagar, para você ir aproveitando a paisagem ou, preparando suas emoções para as próximas voltas. E, é isso que acontece com esse livro! A querida Fabíola Cangussu vai levando o leitor a uma história leve, bonita, com muitas imagens. Temos 2 personagens, mulheres, se descobrindo: uma, aprendendo a ser adulta, a outra, tendo de se desocupar da função "mãe 24hs" e deixar a filha crescer por sí só. Tudo está indo bem... A filha vivendo o primeiro amor... A mãe aprendendo a amar, novamente - tendo novas experiências com o mundo virtual... Tudo tranquilo! E, assim como na Montanha Russa,é ai que chegamos no ápice da subida!!! O carrinho está parado, podemos contemplar a vista, a tranquilidade da altura, Maaaaasss... Logo na nossa frente tem, uma descida descomunal e, a velocidade é desenfreada. E, não é diferente na história!!! Depois da pág. 100, é ladeira abaixo e queda livre descomunal!!! Uma enxurrada de emoções, fatos, histórias vão se cruzando e fazendo a gente perder o fôlego em cada linha lida. MEU DEUS DO CÉU!!!! É MUITA LOUCURA para um livro de 248 páginas!!! E, esta dita escritora que, sem lesbianismos, aprendi a AMAR, conseguiu uma MAESTRIA de cruzar os diálogos de 2 personagens com fragmentos, da grande obra de Guimarães Rosa, Grande Sertão: Veredas... PARABÉNS, FABÍOLA \o/ Cada descrição feita do livro é exuberante: os artistas locais de Minas, suas obras (aprendi muito sobre pintura Emoticon kiki ), sobre culinária e sobre vinhos (Menina... Tu é uma sommelier nata, hein? Hehehehe) e, PRINCIPALMENTE, as paisagens do sertão mineiro - que não difere EM NADA com o nosso amado sertão nordestino! Já havia visitado o Estado das Minas Gerais e, com esse livro, tive a CERTEZA que é um Estado M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O!!! Rico de belezas naturais e de sua gente. Querem conhecer a cultura, a gente, as coisas de Minas? Querem viver intensas paixões? Querem pensar na vida que levam e questionar se ainda há tempo para mudanças? Querem REENCONTRA-SE? Pois, tomem essa leitura"

P.S.: 2 NOITES QUE ESTOU DORMINDO SÓ POR 4 HORAS... E, ESTOU AMANDO ESSA EXPERIÊNCIA COM O LIVRO

terça-feira, 5 de maio de 2015




FALANDO SOBRE O LIVRO, SOBRE O ENCONTRO DE LEITORES DO SERTÃO CENTRAL E SOBRE PROPOSTAS DE PUBLICAÇÃO. EM BREVE...
Posted by Reencontrando-se Série Mudanças on Terça, 5 de maio de 2015

QUIXADÁ SERÁ SEDE DE ENCONTRO DE LEITORES



No próximo dia 16 de maio, a cidade de Quixadá, no Ceará, realiza o I Encontro de Leitores do Sertão Central, colocando a região no calendário cultural do país.
O idealizado do evento, Elileudo Júnior, diz que o objetivo do evento é difundir a cultura da leitura na região e no país.
- Somos uma terra cultural. Conversando com amigos em redes sociais, descobrimos um ponto em comum. Todos adoram livros. Esse hábito nasce com estímulo de pais, professores e amigos. E assim resolvemos dar nossa contribuição para que cada vez mais pessoas descubram o prazer da leitura.
Outro ponto destacado por Elileudo foi da carência de eventos desse gênero na região.
- Não temos eventos ligados a literatura. A capital do estado, sempre sedia eventos desse tipo. E porque não trazer ao interior o estímulo da leitura? – questiona o idealizador do encontro.
A ideia do encontro foi aprovada assim que lançada pelas redes sociais. Segundo Elileudo, os leitores imediatamente compartilharam aos amigos e o evento começou a tomar forma.
- É incrível ver o evento ser montado no dia a dia. Mais de dez editoras confirmaram apoio. Autores da região, de outros estados e blogueiros confirmaram presença. Vai ser uma honra recebe-los em nossa cidade.

EDITORAS RECONHECEM A IMPORTÂNCIA DO ENCONTRO DE LEITORES

A diretora de Marketing da editora Gente/Única Jacqueline Larrosa enviou nota falando sobre a importância de realização do I Encontro de Leitores do Sertão Central.
- Apoiamos este tipo de ação pois acreditamos que a leitura tem que ser acessível a todos, e em encontros assim de apaixonados por livros um acaba incentivando o outro a ler cada vez mais, trocando experiências e suas paixões literárias.
O departamento de marketing da editora Rocco também escreveu sobre a importância de eventos que incentivam a leitura.

-Da nossa parte, acreditamos que todo e qualquer encontro que promova o hábito da leitura é muito importante para o crescimento cultural do país e seus cidadãos. Apoiar eventos, encontros e reuniões realizados por fãs/leitores é a maneira que temos de nos aproximar deles. Além disso, receber feedbacks sobre o nosso trabalho nos incentiva a continuar levando cultura, diversão e entretenimento através das páginas dos nossos livros.