sexta-feira, 29 de maio de 2015

RESENHA: AS TRÊS MARIAS, OBRA DE RAQUEL DE QUEIROZ

AS TRÊS MARIAS – HISTÓRIA SOBRE MULHERES, MEDOS E APODERAMENTO


Raquel de Queiroz, uma Diva da Literatura Brasileira, simplesmente merece ser lida pela nova geração. Detentora do talento de escrever sobre o cotidiano e o papel da mulher na sociedade, ela nos oferece um delicioso passeio pelas páginas de seus livros.  As três Marias, romance de 1939, contem uma magia especial, compartilhadas pelas três protagonistas que se juntam pela solidão.
A história começa com a chegada de Maria Augusta (Guta) em um internato, no Ceará. Enviada pela madrasta, Guta se sente sozinha e com medo da nova realidade. Maria José e Maria da Glória acabam se juntando a ela, e formando o trio que dar nome ao livro, As três Marias, apelido da constelação de Orion. Essa união em pouco tempo as ajudam a vencer os obstáculos e a solucionarem os problemas das demais colegas.
Apesar de serem consideradas uma unidade, cada Maria possui personalidades distintas, com seus sonhos e desejos individuais. O desenrolar da história permite ao leitor acompanhar  o desenvolvimento de cada personagem, que conhecem o mundo através dos romances  franceses, contrabandeados para dentro do internato e que passavam de mão em mão.
Cada leitor se torna um observado atento à descoberta do primeiro amor de Glória. Experiência vivenciada também pelas demais amigas, que mesmo sem o conhecer, aprenderam a admirá-lo através do olhar da amiga.
Como a vida não pode ser congelada, as meninas crescem e precisam se adaptar a realidade fora do internato, as levando por caminhos distintos, sem desfazer o laço de amizade, dado na infância. Neste processo, vemos a característica de Raquel, ela nos leva para conhecer o seu Sertão, nos apresenta a mulher no contexto social. Uma se casa e torna-se mãe. Outra opta pela vida religiosa e pelo magistério e a protagonista e narradora, decide tomar as rédeas de sua vida. Diz não ao papel esperados por todos, tornar-se uma dona de casa. Ela muda para Fortaleza, capital do Ceará, torna-se datilógrafa, uma profissão respeitada e que se exigia qualificação. Ela estava decidida a viver sua história.
Vale a pena conhecer Guta e suas amigas! Vale a pena conhecer Raquel de Queiroz!

·         Editora: José Olympio (2 de fevereiro de 2005)
·         Idioma: Português

Nenhum comentário: